Como o personal trainer pode lucrar alto vendendo pela internet

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

A Internet não é mais apenas um meio de diversão, mas sim um grande ambiente profissional para quase todas as pessoas. Para o personal trainer, por exemplo, o ambiente virtual oferece a possibilidade de se tornar mais conhecido, de conseguir mais clientes, de se aperfeiçoar e muito mais.

Aliás, dá para ganhar bastante dinheiro quando se usa a Internet a favor do trabalho: ela quase não tem custo e coloca as pessoas de todos os lugares em conexão. Entenda neste artigo como o personal trainer pode lucrar alto vendendo pela Internet.

Mercado digital para o personal trainer

Se alguém escrever no Google “treinos de 15 minutos”, “como definir a barriga” ou “como manter a perda de peso”, vai encontrar milhares de resultados. Se fizer uma pesquisa assim no Youtube, também encontrará muitos vídeos com a mesma temática, o que mostra que há bastante interesse dos internautas nesse assunto.

Sendo assim, o mercado digital para o personal trainer está em crescente: as pessoas querem emagrecer, querem ter qualidade de vida, têm pouco tempo disponível diariamente para isso e querem conforto. Por isso, ir à academia ou demorar demais para ter definição do corpo não é uma opção.

Contratando os serviços de um personal trainer, o indivíduo não precisa “dividi-lo” com outras pessoas: se está assistindo a uma videoaula, pode pausá-la quantas vezes quiser até entender o exercício, sem que outras pessoas se sintam prejudicadas e sem se preocupar se o instrutor mesmo está cansado.

Quando se trata de uma aula por videoconferência, a atenção do personal trainer está apenas naquela pessoa. Por isso, os exercícios podem ser melhor explicados, a postura do aluno pode ser corrigida e dúvidas podem ser tiradas. Tudo isso virtualmente, sem que o personal ou o aluno saiam de suas casas, se assim preferirem.

Redes sociais: como o personal trainer pode se beneficiar delas para lucrar

A primeira etapa é criar uma conta na rede social e, preferencialmente, criar uma página em vez de um perfil pessoal. No começo, é claro que a quantidade de curtidas ou de seguidores não será tão grande, mas isso não deve desanimar o personal trainer: investindo em um conteúdo e em boa propaganda, as suas curtidas e seguidores aumentarão naturalmente.

Quando se fala em “investir em conteúdo”, fala-se em trazer novidades para os seguidores: novos exercícios, comentar sobre notícias relacionadas ao mundo dos exercícios físicos, tirar dúvidas por meio de mensagens inbox ou respondendo aos comentários, etc.

No caso da “boa propaganda”, dá para mencionar dois métodos: os posts patrocinados e as promoções feitas pelo próprio personal trainer. Os posts patrocinados funcionam da seguinte forma: o indivíduo seleciona um a postagem que ache que vai chamar a atenção positivamente e paga para que a rede social a coloque no máximo de feeds possível, até de quem não é seguidor ainda. Também dá para o personal trainer fazer promoção de suplementos, sortear uma roupa para treino, sortear uma consultoria gratuita, etc.

Como o personal trainer pode fazer um bom conteúdo

Os internautas, mesmo os que não são especializados em exercícios e em vida saudável, conseguem identificar quando o conteúdo de alguém é bom ou não. Por isso, o personal trainer não deve achar que enganará o consumidor: se o conteúdo do seu site ou página for ruim, quem o contratou vai desfazer o negócio e quem está procurando por consultoria vai ficar com a concorrência.

Para que o personal trainer ofereça bom conteúdo e lucre, ele precisa ter atenção ao que segue:

  • Observar quais são os assuntos que os possíveis clientes estão procurando: é como emagrecer de forma saudável? É como eliminar culote? É sobre segurança na prática de exercícios? Sabendo qual é a temática que mais interessa a esses possíveis clientes, dá para agradá-los melhor;
  • Reconhecer os erros, mas errar o mínimo possível: se um personal trainer dá uma orientação equivocada, ele tem de se retratar no conteúdo seguinte e o melhor é admitir o erro. Porém, esse sinal de humildade pode se transformar em indicativo de falta de conhecimento quando o personal se corrige o tempo todo;
  • Estar atualizado com relação às novidades fitness. Para isso, o profissional deve seguir outras pessoas renomadas no setor;
  • Apostar sem uma boa identidade gráfica. Um personal trainer que posta vídeos em seu canal do Youtube deve procurar por um software de edição no qual faça uma abertura personalizada, possa escrever ligeiras explicações sobre os termos que usou, etc. Se o personal está disponibilizando um vídeo com exercícios, é muito importante assisti-lo antes de fazer o upload para conferir se a imagem está nítida, se o som está claro, etc.;
  • Ser simpático: as pessoas se conectam mais quando a outra é agradável e os efeitos positivos são muitos, a começar pela vontade do internauta de estar em contato com aquele personal trainer.

Consultoria presencial ou online

Como se está mencionando aqui a alta lucratividade para quem usa a internet, o foco deve ser a consultoria online, apesar de a consultoria física também ter clientes muito fieis. Hoje, o atendimento virtual é uma das maneiras de o personal trainer mais ganhar dinheiro e os motivos são variados:

  • É possível ter mais clientes porque eles podem estar em qualquer lugar do mundo;
  • O personal trainer pode escolher entre atender um aluno de cada vez ou fazer uma grande videoconferência, como se ele tivesse uma turma;
  • O profissional não tem necessidade de gastar com o seu transporte até o local da aula;
  • É mais fácil para os clientes divulgarem o seu personal trainer;
  • Se o profissional tiver bastante visualização e seguidores, pode ser chamado pela plataforma para ser um parceiro e ganhar ainda mais dinheiro;
  • O personal trainer pode receber diversos tipos de pagamento: há boleto bancário, depósito bancário, cartão de débito ou crédito e muito mais. Com isso, menos pagamentos são recusados e mais lucro para o instrutor, que também fica menos submetido à criminalidade e não precisa providenciar máquinas de pagamento e outras máquinas comuns.

Deixe uma resposta